Por que mais presente? Porque é atualmente a cirurgia mais realizada no país.

O último levantamento feito em 2009 pelo Datafolha e pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica(SBCP)(http://www.cirurgiaplastica.org.br/), aponta que  21% das cirurgias são nas mamas entre as 630mil cirurgias realizadas por ano.

Existem vários tipos de mamoplastia. Uns visam aumentar a mama e outros apenas levantar, dar consistência e tambémhá aquelas para diminuir o excesso mamário.

A maioria das cirurgias são feitas após gravidezes, na qual as mamas sofrem com o peso do aleitamento.A mamoplastia, seja com ou sem a inclusão de prótese de silicone recoberta de poliuretano, visa devolver o volume e a forma da mama, por vezes perdida após a amamentação e, porque não, também a sua auto-estima. As mamas que ficam muito volumosas e não voltam ao tamanho natural, tendem a pesar e cair. Se foi isso que aconteceu com você a cirurgia plástica indicada é a mamoplastia redutora. Por um corte que pode ser feito ao redor das aréolas e na pele da mama, em forma de T invertido ou em forma de “pirulito” ou “raquete”, o cirurgião retira o excesso de tecido mamário e pele.

Já para a mulher que ficou com os seios do mesmo tamanho, mas um pouco caídos, a solução é a mastopexia, uma cirurgia para retirada do excesso de pele, que também é feita com corte ao redor da aréola ou em forma de T invertido. Para queda acentuada, não importa o tamanho, tem de ressecar a pele.

No caso de flacidez leve, a indicação dos especialistas é a colocação de próteses de silicone recobertas de espuma de poliuretano um pouco mais volumosas, que irão compensar a queda. “É o suficiente para devolver o formato original

No caso de mamas que sofreram atrofia ou que são naturalmente pequenas sem flacidez, a colocação de próteses garante excelente resultado. “São os melhores e mais bonitos resultados estéticos. Um último lembrete: o ideal é planejar a plástica de mama depois de ter todos os filhos desejados, pois, ao contrário, há risco de perda dos resultados.

Mas qual a mágica? É aí que tem de haver entendimento: Não há mágica. O que pode ser feito é trocar  uma condição por uma outra condição com a presença das famosas cicatrizes. A paciente tem de ter ciência e esclarecimento que vai trocar uma mama flácida e sem volume por uma que tenha rigidez e projeção do colo mamário mas com cicatriz.